Dia Empreendedorismo Jovem

Dia Empreendedorismo Jovem

Empreendedorismo_Jovem Empreendedorismo_Jovem

O Dia do Empreendedorismo Jovem que decorreu a 23 de maio de 2014, na Casa Municipal da Juventude, contou com a participação de cerca de 35 elementos de associações locais, de diferentes áreas de atuação, das esferas juvenil, cultural e desportiva.

Este evento direcionado ao movimento associativo, pretendia dar a conhecer alguns dos apoios e incentivos à implementação de projetos, mediante a partilha de informação por parte de entidades que gerem esses apoios, nomeadamente o IPDJ, mas também através da partilha de experiências por parte de jovens que beneficiaram deste tipo e apoios e que acrescentaram valor ao trabalho desenvolvido por associações que acolheram os seus projetos.

Na primeira sessão do programa, sob a temática do Empreendedorismo Jovem, o orador Narciso Moreira, da Betweien, iniciou a sessão com a abordagem ao tema empreendedorismo e de que forma a atitude empreendedora pode e deve ser trabalhada desde tenra idade; em boa verdade, se há pessoas cujo empreendedorismo surge de forma inata, ficou claro que esta atitude pode ser potenciada com intervenções em contexto escolar, e até mesmo, ao nível da comunidade.

A corroborar esta intervenção surgiu o exemplo de Romana Fresco, ex-formanda da 3.ª edição do Workshop de Empreendedorismo Feminino, promovido pelo Aveiro Empreendedor, e que criou a sua própria associação de empowerment feminino: a Word of Women. Neste âmbito, Romana referiu alguns dos constrangimentos que enfrentou – e enfrenta – mas sempre com o sentido de “dever cumprido” em prol das mulheres que apoiam a concretizar os seus sonhos e projetos de vida.

No momento seguinte, Luís Fardilha, do IPDJ, veio apresentar a Rede de Perceção e Gestão de Negócios (RPGN), a qual pretende apoiar jovens a desenvolverem ideias e projetos que respondam a necessidades locais, identificadas por associações ou empresas locais. Aqui, o técnico do IPDJ referiu a mais valia deste apoio, tanto na ótica dos jovens como na perspetiva das associações e, até, do setor empresarial. Estas entidades podem identificar uma necessidade ou projeto que queiram desenvolver e que, devido à escassez de recursos humanos, nunca o tenham conseguido concretizar e, com isso, acolher durante 5 meses os jovens inscritos na rede. Estes jovens, por sua vez, e de acordo com as suas habilitações académicas, recebem uma bolsa para desenvolver o projeto ou ideia, não havendo qualquer custo para a entidade acolhedora.

A apresentação de Luís Fardilha foi ainda enriquecida com a apresentação de Sílvia Dutra Santos, beneficiária da RPGN (Ação 3), que veio partilhar com a plateia o projeto que desenvolveu, o Bikefest.

Importa ainda referir que as inscrições na rede, tanto por parte dos jovens como associações e empresas, terminam a 30 de maio de 2014 e apresentação de projetos/ideias termina dia 1 de junho. Para mais informações consulte aqui.

Na segunda sessão, dedicada ao Apoio às Associações Juvenis, Sacha Vieira apresentou o Projeto Gerações às Hortas que desenvolveu no âmbito do programa Juventude em Ação, na Associação AgorAveiro. Este projeto pretendia promover a partilha de conhecimento e experiência entre jovens e idosos no desenvolvimento de hortas, potenciando as mais valias da intergeracionalidade. Aqui ficou explanada a forma como a sua ideia assumiu forma e foi implementada no terreno, incutindo nos participantes a facilidade com que podemos materializar projetos e passar do papel à prática.

As últimas oradoras foram três jovens que se encontram a participar no Serviço Voluntário Europeu na EPA/AEVA. Estas jovens da Alemanha, Itália e Polónia, nem com as eventuais dificuldades linguísticas que tivessem, demonstraram ter a atitude empreendedora e a vontade de desenvolverem projetos em prol da comunidade. Referiram estar a ser uma experiência enriquecedora, não só porque envolve a interação com outras culturas mas porque acreditam ser uma forma de crescer enquanto pessoas. Estas jovens são apenas um pequeno exemplo do trabalho meritório que a EPA/AEVA faz no aproveitamento dos diferentes programas comunitários, para desenvolver projetos de interesse, quer para a escola, quer para a comunidade local, conforme referiu Ana Ribeiro.

Algumas das apresentações feitas, podem ser consultadas em baixo.

ProjetoAgorAveiro betweien epa bikefest

Promotor da Ação:
Data da Ação:
Local da Ação:
Mais Info: